Atenção, o seu browser está desactualizado.
Para ter uma boa experiência de navegação recomendamos que utilize uma versão actualizada do Chrome, Firefox, Safari, Opera ou Internet Explorer.

O Cavalo Andrade

Quando o Dr. Ruy d’Andrade assumiu a gestão da propriedade de seu pai, em 1901, ele adquiriu algumas éguas da mais pura Raça Espanhola Andaluz (estirpe Cartujana) de Guerrero Hermanos, D. Vicente Romero y Garcia, e D. António Perez Tinao, criando deste modo a base para a Coudelaria Andrade.

Como garanhões, utilizou cavalos das mesmas origens, dos quais há a destacar RUMBOSO de Guerrero Hermanos, ARRIERO de Camino Hermanos, BERGANTIN de Eduardo Miura, CARTUJANO e SALTADOR de D. António Perez Tinao, NOVELERO de Pallares Moreno e PRINCIPE VIII de D. Francisco Chica Navarro, que veio a ser o grande garanhão formador da Coudelaria.

A Coudelaria d’Andrade tem produzido cavalos notáveis e tem um palmarés invejável em quase todas as actividades hípicas, desde os obstáculos, passando pelo ensino e pelo toureio - são de destacar pela sua funcionalidade. Desde o início do século XX até aos dias de hoje foi várias vezes Campeã da Raça nos certames da especialidade, para além de Campeã Ibérica em 1970 e 1972 e com inúmeras menções honrosas em outros anos anteriores e posteriores.

O cavalo Andrade é considerado uma sub-raça * do cavalo Lusitano dado (i) as suas características distintivas, e, (ii) o facto desta linhagem estar presente e ter dado origem a muitas das melhores Coudelarias Lusitanas actuais.

Os cavalos lusitanos da linhagem Andrade, escreveu Ruy d’Andrade, devem ser “fortes, curtos, valentes com os toiros, ardentes se provocados e calmos se não excitados, velozes na corrida e rápidos nas voltas, e de bom passo. Finos à espora, submissos, de boa boca, infindáveis, resistentes a tudo …” Dentro dos cavalos Ibéricos, os “Andrade” são geralmente de grande estatura tendo sido seleccionado sobretudo a partir dos seus andamentos e qualidades funcionais.

São de destacar como Garanhões da linhagem Andrade MARAVILHA, MAJESTOSO, JUSTO, VULCANO, ENEIAS, FIRME e MARTINI.

Sob a direcção de Fernando Sommer d’Andrade, esta coudelaria obteve ao longo dos anos inúmeros prémios com destaque para os títulos de “Coudelaria Campeã Ibérica” na Feira de Campo, Madrid 1970, juntamente com os títulos de “Poldro Campeão Ibérico” e “Égua Campeã Ibérica”. No primeiro Campeonato Internacional do Cavalo Lusitano, ZAMORIM conquistou o primeiro lugar na classe de “Machos com mais de 5 anos”.

FIRME com D. José d´Athayde e URCO com José Luís d´Andrade notabilizaram-se no toureio. FIRME, é pai de vários notáveis cavalos de ferro Veiga – NEPTUNO, NILO, NOVILHEIRO e OPUS 72.

São de notar nesta linhagem os cavalos URCO, UMBROSO, VIDAGO, YACHT, ZAMORIM e JABEQUE como reprodutores.

Actualmente, a Coudelaria de Fernando d’Andrade utiliza como garanhão o cavalo MALPOLON, filho do JABEQUE e neto de YACHT, ZAMORIM e XEXE, e o NABLIO, filho de URCO e neto de MARTINI e YACHT. As éguas incluem as descendentes da HAMELÉTICA filha do YACHT e neta de MARTINI, FENICIO e KAYAK.

A linhagem Andrade, um património genético que é necessário conservar, está presente em inúmeras coudelarias portuguesas, representando um marco importante na criação de cavalos em Portugal.

* As três sub-raças do cavalo Lusitano são (i) Coudelaria Nacional, (ii) Veiga e (iii) Andrade.

Garanhões

Bacante

Malpolon

Éguas Reprodutoras